terça-feira, 30 de junho de 2009

Rescaldo - Lagoa de Albufeira








































E lá fomos fazer o nosso passeio "extra" à Lagoa de Albufeira. Não tivemos foi muita sorte com o dia que escolhemos pois apanhámos uma valente molha! Mas como nunca esteve frio, a chuva em si não foi o maior problema, o pior foi mesmo a areia molhada na transmissão das bicicletas que atrapalhou um pouco, mas nem isso manchou mais esta aventura "extra".

O percurso: Conforme combinado saímos do ponto de encontro por volta das 07h30 e assim que arrancámos começou a chover! Mas era uma chuvinha fraca que até sabia bem.

Seguimos pela terra batida do Pinheiro Ramudo até aos Brejos da Moita, depois seguimos sempre por alcatrão, passando pela Barra Cheia, Penalva e Coina. Depois seguimos uns metros pela N10 e na primeira rotunda seguimos em direcção à estação da Fertagus de Fernão Ferro (EN.206). Foi nesta estrada que aconteceu o único problema técnico do dia, o Fernando para variar partiu mais um raio! Já lhe dissemos para mudar de fornecedor, mas ele não vai nisso, porque ainda lá tem muitos da roda velha. O que vale é que ele vai sempre fornecido de raios suplentes no espigão do selim e com a ajuda do Lino lá se conseguiu trocar o raio num instante! Seguimos o nosso caminho e na rotunda da Nato, seguimos em direcção à Lagoa pela EN.377.

Na ultima subida antes de chegar à Lagoa, o Artur e o Licínio que tinham vindo sempre na cauda do pelotão encetaram uma surpreendente arrancada que partiu completamente o grupo. Mas se o "gás" do Licínio acabou depressa, o do Artur continuou em alta e o Vaquinhas teve de suar bastante para não o perder de vista! Como referi anteriormente nesta fase do percurso a "corda" esticou tanto que teve mesmo de se partir e até a "Super-Cola3" do Lino se descolou da roda do Vaquinhas, lololol [O Lino comprou esta Cola em Vendas Novas e agora não quer outra coisa, lolol]

O Fernando acabou por ultrapassar o frenético Artur já relativamente perto da Lagoa. Quando chegámos ao entroncamento que tem a placa direccional para a praia sugeri que parássemos para reagrupar e para evitar que alguém se "esquecesse" que ainda tínhamos de ir a Alfarim. Eram 09 horas e estávamos a cumprir o horário que eu tinha delineado.

Seguimos até Alfarim para efectuarmos a primeira paragem "oficial" e tirar uma trugas na praia do Meco. Como o dia não estava nada convidativo na praia ainda só estavam o nadador salvador e o nevoeiro!

Agora era a altura de iniciarmos os caminhos mais propícios para o BTT e seguimos pela mata do meco até à Lagoa, passamos pela pista de free-ride e achámos piada a um colchão que "abraçava" um dos pinheiros (imagino que não devem ter sido poucos os tipos a "marrarem" ali naquele sitio, lolol)

Chegámos à Lagoa e a chuva lembrou-se de começar a cair com mais intensidade. Foi a desculpa perfeita para uma paragem extra num dos cafés das redondezas.

Mas como estávamos todos a arrefecer optámos por voltar aos pedais e seguir o nosso caminho até à praia. Seguimos pelo trilho até ao parque de campismo, e depois em direcção à Lagoa Pequena, que era o ponto alto de todo o percurso.

A seguir era a altura de decidir se alguém queria abandonar o grupo e seguir para casa. Felizmente ninguém se baldou e todos atravessámos a antiga ponte de madeira que separa a margem sul da margem norte da Lagoa. Era a parte que eu tinha avisado onde iríamos fazer cerca de 3 quilómetros maioritariamente a pé, visto que a areia não iria permitir grandes pedaladas. Mas a chuva que tinha caído e a que ainda caía ajudou a areia a ficar menos mole e conseguimos pedalar muito mais do que eu esperava, e acho que nem 1/3 desse caminho foi feito a "butes". A frase: "Até parece um tractor!!! era a mais ouvida, tal era a nossa performance!

Chegámos à entrada norte da Lagoa e
fizemos a segunda paragem agendada para reforço de energias e mais umas quantas trugas.

No cruzamento para a Fonte da Telha aproveitamos uma grande poça de agua da chuva para limpar as transmissões das bikes (a areia era realmente muita) e a seguir seguimos sempre pelos trilhos bem rolantes da Apostiça em direcção ao Alcatrão da EN.377 (O Licínio ainda falou numa passagem pela Fonte da Telha, mas o joelho dele já não estava em condições para essas aventuras e o relógio também não ajudava. Mas fica deste já prometido um outro passeio "extra" desta vez com destino à Fonte da Telha e à Caparica).

O caminho de regresso foi feito a um excelente ritmo e sem grandes sobressaltos e apenas a subida para a Penalva é que causou maiores dificuldades. Eu e o Lino éramos os que estávamos em melhores condições físicas e fomos os primeiros a chegar lá a cima, mas o desgaste no grupo já se começava a sentir e até o nosso "Armstrong da Carregueira" que também vinha connosco no grupo da frente teve de baixar o ritmo devido ao aparecimento das suas "amigas" câimbras!

Mais uma paragem para reagrupar e depois só parámos mesmo na escola primária do Penteado onde chegámos precisamente à hora que eu tinha previsto: 13 horas! [e com paragens extra e tudo]

Resumindo: Mais um excelente passeio "extra", que proporcionou uma manha muito bem passada (apesar da chuva) com a boa disposição habitual e com trilhos novos muito diferentes dos que normalmente fazemos na Arrábida.

Eu gostei!! E vocês?


Rijos de Serviço: António, Artur, Carlos, Fernando, Jorge, Licínio, e Lino.

Dados de grupo:

Distancia percorrida: 72,47 km em 3:46:34 [Penteado-Alfarim-Penteado]

Temperatura Mínima: 22 ºC
Temperatura Máxima: 26 ºC

Dados individuais:

Media de Pulsações: 141 p/min.
Pulsação Máxima: 190 p/min.

Velocidade Média: 19,10 km/hora
Velocidade Máxima: 56,00 km/hora



Sem comentários:

Publicar um comentário