quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Rescaldo – Passeio BTT de 05/10/2008 – O Ensaio para a Maratona















1º Passeio de Outubro e a brisa matinal começa a ficar um pouco desagradável, por isso tive mesmo de levar o corta-vento porque senão era mais que certo que iria ter uma recaída da gripe.
Desta vez já conseguimos reunir um grupo jeitoso porque contámos com os regressos do Vaquinhas e do Licínio.



















Este passeio teve dois objectivos principais, um deles era o de testar a nossa condição física para ver se estamos aptos para fazer a nossa 1ª maratona, o outro era o de descobrir se uns trilhos novos que eu tinha analisado no Google Earth eram bons e se podiam ou não ser utilizados na já referida maratona.

Relativamente ao primeiro objectivo, acho que o pessoal com maior ou menor dificuldade vai conseguir completar a prova, mas na minha opinião temos mesmo que tentar diminuir um pouco a pedalada e fazer o percurso em ritmo de passeio para ver se ninguém "estoira" antes do tempo. Por isso meus amigos, nada de sprints e correrias! (recordo mais uma vez, que não vai haver horário de regresso, vamos chegar a casa à hora que chegarmos e por isso não há desculpas para haver pressas)

No que diz respeito aos trilhos novos, acho que foram um sucesso e como todos nós gostámos de os fazer posso desde já garantir que já estão integrados definitivamente no percurso oficial da 1ª Maratona "Reumática" (se quiserem dar uma espreitadela no percurso cliquem aqui)


Passemos agora ao trajecto:

Começámos a parte interessante (a parte do alcatrão não interessa nada) nos Moinhos da Serra do Louro, posso dizer que pela primeira vez ia caindo ali mas felizmente consegui ficar de pé e safei-me de boa! A seguir ao descermos os moinhos, optamos por subir o trilho da esquerda (aquele que vai ter ao Pomar) e quando eu estava a fazer uma das gravações de vídeo passa um grupo pelo estradão mais abaixo e eu consegui ouvir parte do que eles estavam a comentar: "Olha aqueles gajos... até estão a fazer reportagem... deve ser a primeira vez que pegam numa bicicleta...". Como é lógico, não me importei rigorosamente nada com a opinião deles, e continuei a fazer os meus filmes (ainda não tive tempo para fazer a edição das imagens! Sorry!!). Mas quando chegámos ao "Cai-de-Costas" eles estavam lá todos parados com as suas maquina$$$. Quando eu ia a começar a subida, optei por parar porque reparei que vinha um rapaz a descer com a bicicleta ao lado. Eis que vem mais uma boquinha do tal grupo de vedetas: "Quanto mais olhas para a subida mais te custa... Não olhes mais...". Respondi-lhe que estava apenas à espera que o tal rapaz acabasse de descer e que eles não precisavam de se "preocupar".
Quando o moço chegou cá abaixo, perguntei-lhe se vinha sozinho, ele respondeu que sim e pediu desculpa por nos ter feito esperar um pouco. Respondi-lhe que não tinha nada de pedir desculpas e que estava tudo bem. Era a altura de iniciar mais um "cai-de-costas"!

Quando comecei ainda ouvi uns bitaites quaisquer de um dos tais tipos (não percebi o que disseram mas pelos vistos estavam a querer ensinar-me a subir, mas o Licínio depressa lhes disse para eles não se preocuparem comigo que eu sabia bem o caminho). Subi com a táctica do costume e cheguei lá acima sem qualquer problema, o Vaquinhas e o Artur foram a seguir e eles também conseguiram ter sucesso.

Não sei se os tipos se envergonharam, mas o que eu sei dizer é que eu estava a continuar a fazer o nosso vídeo e NENHUM deles tentou sequer fazer a "subidinha" e optaram TODOS por descer até ao Vale dos Barris... (tanta conversa... tanta conversa e vai-se a ver é só gargantil...)

Depois foi a vez do Lícinio "Mega-Range" tentar a sua sorte mas ainda não foi desta que ele entrou para o nosso Top "Cai-de-Costas". Quem quase que ia conseguindo entrar para o Top foi o Lino que à segunda tentativa trocou a sua "Sarilhex" pela GT do Artur e bateu o seu recorde pessoal e na minha opinião ele só não conseguiu chegar até lá acima sem pôr o pé no chão porque ainda não estava habituado à bike. Era a prova que o Lino queria, a culpa dos fracassos nas subidas é do quadro da "Sarilhex" (e também pode ser do guiador porque me parece ser muito curto). E para não haver duvidas, o Vaquinhas tentou subir com ela e ficou muito mas muito longe de o conseguir (a historia da habituação à bike também se aplica aqui, mas o problema principal é mesmo o quadro).
Para terminar tenho que referir que vimos um tipo a subir o "Cai-de-Costas" com uma velocidade impressionante, e o mais engraçado foi que assim que chegou lá a cima, voltou para trás a uma velocidade não menos impressionante... (o gajo era mesmo de outro campeonato!)

Passamos à Capela das Necessidades, atravessámos a N10, subimos até ao Moinho do Cuco (antes da casa abandonada, o Artur deu um daqueles tombos parvos quando de está a parar e ainda feriu um dos joelhos) e depois fomos ter à Rua da Califórnia por um trilho novo que atravessa duas quintas e que passa ao pé da oficina do Júlio Pinto (trilho aprovadíssimo).

Depois percorremos uns metros o alcatrão dos picheleiros, e fomos até ao Alto da Madalena (já se começam a ver obras lá dentro...), depois de sairmos da quinta virámos à esquerda e uns metros mais à frente virámos à direita para irmos à descoberta de mais um novo trilho. Neste caminho existem três hipóteses: a que eu escolhi podia ser melhor porque tem lá uma descida que teve de ser feita a pé porque não quisemos arriscar nenhuma queda, mas no cômputo geral o trilho até é porreiro (faltam descobrir as outras duas hipóteses!!)

Chegámos a Aldeia de Irmãos, passámos a fonte da Rua José Augusto Coelho e a seguir virarmos à esquerda e subimos até ao trilho da falésia. Como estávamos um pouco atrasados, não fizemos o trilho e fomos directamente para o parque de merendas do Alambre por mais outro caminho novo (Aprovadíssimo!!).

O pessoal já estava com fome e por isso mesmo a pausa veio mesmo a calhar!
























Abandonámos o parque das merendas (é incompreensível o facto de haver tanto lixo naquela vala quando há contentores à disposição de todos...) e fomos por mais um novo trilho (também muito porreiro) em direcção ao estradão que vai para o trilho do "Chico-das-Saias" e também para o Parque de Campismo dos Picheleiros.

Até esta fase o percurso foi igual ao que vamos fazer na maratona, sendo que a primeira diferença foi desta vez optámos por seguir até ao parque de campismo e na maratona vamos seguir para o trilho do "Chico".

Aproveitei o facto de irmos em direcção do parque de campismo para explorar outro caminho novo (um desvio à direita que atalha o estradão). Este trilho também é excelente e até uma descida muito porreira! (o pessoal até estranhou o facto de desta vez não aparecer nenhuma subida maluca!)

Chegámos ao Parque de campismo, e o Fernando e o Licínio aproveitaram para ir ao café lá do sitio. Depois de eles terem reposto os níveis de cafeína seguimos em direcção dos Picheleiros, depois atravessamos a N10 e a rua do alto das necessidades e fomos pelos trilhos habituais até aos Barris. Aí voltámos à esquerda, subimos o estradão vizinho do nosso "amigo" "cai-de-costas" e depois fomos em direcção dos trilhos que nos levam até à Quinta do Anjo.

A partir daqui começa o alcatrão, e depois de tantas aventuras por buracos,valas, pedras e silvas não é que o Lino tem um furo mesmo à saída da Quinta do Anjo (perto da ponte)! E não foi um furo qualquer, quando fomos a ver ele tinha um prego enfiado pelo pneu dentro!

Felizmente este foi o único incidente da jornada e pode-se dizer que este facto não manchou a excelente volta que fizemos.

Reumáticos de Serviço: Artur, Carlos, Fernando, Licínio e Lino

Dados de grupo:

Distancia percorrida: 61,53 km em 3:56:40

Temperatura Mínima: 6 ºC


Dados individuais:

Media de Pulsações : 135 p/min.

Pulsação Máxima: 189 p/min.

Velocidade Média: 15,5 km/hora
Velocidade Máxima: 50,7 km/hora (Registada numa das descidas da Serra de S.Francisco)



Nota final: O vídeo vai ser publicado assim que eu tenha um tempinho livre para o editar. [demorou mas chegou!]


B.d.R. - Serra da Arrábida - 05/10/2008 from Carlos Espiguinha on Vimeo.

Sem comentários:

Publicar um comentário