quarta-feira, 11 de julho de 2012

Rescaldo - Passeio de BTT de 08/07/2012 - Volta da Palhaçada


Como habitualmente tentamos combinar as voltas de forma a termos o máximo de "Brigadeiros" possíveis, esta semana o Fernando queria vir connosco, mas como ele só poderia estar em Palmela por volta das 09h30 pensei num percurso em que não nos afastássemos muito de Palmela de forma a que ele se pudesse juntar ao grupo assim que estivesse despachado.

E assim foi, saímos cedo em  direcção da Estrada da Cobra, descemos pelo single-track até à "Lagartixa" e seguimos até São Paulo. Depois subimos um pouco da "Tartaruga", entrámos na Quinta da Pena e subimos pelo single até às colmeias.

Seguimos depois até à Capela de São Luís e a seguir até ao estradão do Rego d´Água.
Descemos o "Trilho do Tanque", mas em vez de seguirmos até à N10, na bifurcação voltámos para trás.




Era a altura de seguir pelos caminhos de terra vermelha do Sobral de Alcube, até à zona do drop.



No drop, lá tivemos de meter a bike às costas para o ultrapassar e seguimos por um trilho que raramente fazemos, mas desta vez em sentido contrário ao que já temos feito (Já tinha descido por ali uma vez com o Rodrigo e o Artur).




Depois de ultrapassado o obstáculo, subimos por ali acima, e numa bifurcação tive de fazer uma breve pausa para actualizar o meu C.P.S (Carlos Positioning System), e quando cheguei à conclusão que o caminho correcto era o da esquerda, já o Zé se fazia todo lampeiro ao trilho da direita... Assim para ele não ir sozinho, o Rodrigo e o Lino foram atrás dele e o Afonso e eu seguimos pelo caminho originalmente traçado (eles atalharam mas fizeram mais PéTT que nós e não fizeram um pequeno single em "V", ou seja desce e depois sobe).





Depois de uma troca de telefonemas lá nos reencontrámos novamente e estávamos prontos para ir ter com o Fernando que já estava em Palmela e que iria descer o Vale dos Barris até às Oliveiras a seguir ao "Fio-Dental".

Para isso descemos pelo corta-fogo até ao Vale de Alcube, o Afonso fez um desvio pelo Trilho das Raízes (o enorme buraco que lá há, visto no vídeo não parece assim tão difícil de ultrapassar) e depois subimos até às Oliveiras onde já estava o Fernando à nossa espera.



Depois de uma pequena pausa para recuperar energias subimos pela encosta até ao largo do "Fio-Dental" e os valentes Lino e Afonso ainda tiveram fôlego para subir e descer o "Cai-de-Costas":




E foi desta maneira que o Lino entrou para o que nós na brincadeira chamamos de "Grupo de Elite" [malta que consegue subir desde a Portela até ao topo do Cai-de-Costas sem meter o pé no chão]. Se bem que no caso do Lino e devido à sua gulodice, o grupo deveria chamar-se "A nata da rigisse", eheheh. O Afonso também é um sério candidato a este "estimulante" título, mas desta vez devido a uma curta pausa antes de iniciar o "C.d.C." esta tentativa foi apenas um ensaio muito promissor ;-)

Dali seguimos para um dos nossos trilhos favoritos, o do "Tronco" e desta vez tivemos alguma sorte por nenhum de nós se ter aleijado porque as rampas do tronco estavam soltas, e depois de o Afonso, eu e o Zé termos passado, uma delas caiu, e quando o Fernando passou, a 2ª rampa já não estava no lugar. Hoje (3ª feira) voltei lá para verificar o estrago, e as rampas estavam novamente no sítio mas completamente soltas, sem parafusos, sem pregos, sem nada! Por isso saquei do martelo que levava na mochila, preguei 4 cavilhas (2 em cada lado) e creio que enquanto o tronco não apodrecer mais, as rampas vão aguentar mais algum tempo. Curiosamente assim que acabo o "restauro" passa um jovem sozinho e sem capacete por cima da rampa (a estrutura aguentou-se bem e se calhar evitei que ela caísse novamente assim que ele passasse lá por cima). O que é certo é que o teste está feito, as rampas a partir de hoje estão bem presas e agora basta um pouco de habilidade para passar por cima do tronco ;-)



Chegámos a Cabanas, rolámos uns metros pelo alcatrão, virámos à direita e subimos novamente para o "mato" para mais uma série de single tracks (Torres e Marçal).






O engraçado é que alguns elementos da "Elite" ou da "Nata da Rigisse", aqui já estavam um bocado cansados e depois fazem figuras destas:

Ri-te ri-te que já foste apanhado, lolol
Estávamos agora na Quinta do Anjo, e tínhamos de voltar a subir até ao topo da Serra do Louro:


Depois seguimos pelo Trilho dos Moinhos, que tem sempre outro encanto feito em sentido contrário ao que habitualmente fazemos, até ao Jardim de Palmela perto da garagem dos autocarros.



 A "longa metragem" desta semana resume tudo aquilo que acabei de descrever (e está tão completa, que eu hoje nem precisava de escrever nada. Só faltam mesmo as palhaçadas das fotos de grupo, lolol)

Acho que neste vídeo apareço mais vezes do que nos outros vídeos todos juntos, lolol

Espero que gostem!!



Rijos de serviço: Afonso, Carlos, Fernando, Lino, Rodrigo e Zé

Distância percorrida: 48,60 km em 03:04:01
Altura máxima: 215 m
Altura mínima: 18 m
Acumulado de subidas: 808 m (GPSies)
Media de Pulsações: 132 p/min [começa a voltar ao "normal"]
Pulsação Máxima: 188 p/min (0:01:43 acima do limite)
Velocidade Média: 16,40 km/h
Velocidade Máxima: 47,70 km/h

Sem comentários:

Publicar um comentário