domingo, 17 de julho de 2011

Rescaldo - Passeio de BTT de 17/07/2011 - Correu mal, mas podia ter corrido bem pior!


 Pois é isto hoje não correu nada bem, mas tal como digo no titulo desta crónica, podia ter corrido bem pior! Logo no inicio do passeio quando estávamos já a descer a estrada romana do Castelo de Palmela, o Artur fica sem o travão detrás, ainda resquícios do ultimo tombo que ele deu à umas semanas atrás. Mas como já não é a primeira vez que isso acontece lá se resolveu o problema e o travão ficou a funcionar.


 Quando finalmente descemos a estrada romana, seguimos até à Baixa de Palmela com destino à "Jibóia" e fomos surpreendidos com o piso porque agora tem uma nova camada de gravilha que, se por um lado tapou os regos causados pela água, por outro lado, na fase inicial dificultou um pouco a tracção e obrigou-nos a desmontar quase ao pé da primeira curva.



Dali seguimos para o Moinho da Páscoa e uns metros mais à frente para o single-track que desce até ao sopé da Serra de São Luís.


Depois subimos pelo caminho das antigas pedreiras e seguimos até à Capela:





Aqui e quando me preparava para iniciar mais um segmento do vídeo que estávamos a realizar reparo que algo não está bem e que a maquina não inicia a gravação. O meu primeiro pensamento foi que me tinha esquecido de a desligar em qualquer lado e que a bateria se tinha gasto, por isso montei a câmara de backup, a #6, e os resultados são iguais... aqui a teoria da bateria se ter gasto no caminho também encaixava porque já não era a primeira vez que fazia gravações no interior da mochila (como devem calcular ficam filmes tipo o "Branca de Neve" do João César Monteiro onde apenas se vê uma tela preta e vozes, mas em pior, ehehhe). Afinal ambas as baterias tinham carga e foi o cartão mini-sd que lhe deu uma coisinha má e que me obrigou formata-lo e a perder os vídeos que tínhamos feito até à Capela (foi chato, mas não é grave porque podemos sempre lá voltar).

 Seguimos então pelo trilho até ao estradão da Quinta do Rego d´água e depois da subida inicial virámos à esquerda para o Trilho do Tanque e descemos até à fonte. Não fomos em frente, virámos à direita e descemos a pique até à zona da Ribeira de Alcube. 

Seguimos pelo Vale de Alcube e numa zona onde ninguém esperava vemos o Rodrigo a cair. A queda não parecia grave (e não foi) e quando o ultrapassámos ele já estava em pé e a montar-se na bicicleta e vem atrás de nós. Passados poucos segundos, parei para tirar umas fotos ao Artur que vinha um pouco mais atrasado e nem o Artur nem o Rodrigo apareciam. Como a demora não era normal fomos ver o que se passava e quando lá chegámos deparámos-nos com isto:


Pois... ele bem que se montou na bicicleta quando nós passámos, a roda é que estava "ligeiramente" empenada e não deixou continuar, lolol

Entretanto o Rodrigo foi com o Fernando à fonte lavar a ferida que fez na zona do cotovelo e eu e o Artur ficamos a tomar conta da roda e a planear o logística que seria necessária para o desenrascar.

Mas afinal de contas não foi necessário chamar o carro de apoio porque o Fernando conseguiu desempenar a roda o suficiente para passar por entre o aro da suspensão e pôr a bicicleta a rolar, ainda que em condições precárias.

 
A partir de ali a escolha por caminhos em alcatrão era óbvia e por isso subimos a Estrada do Alto das Necessidades, e depois descemos até São Simão e dali até Cabanas.

Se alguém me dissesse que eu um dia, iria publicar aqui algo relacionado com a banda sonora do filme "Musica no Coração" ou um dos singles do Cliff Richards eu dizia-lhe que ele era maluco e que isso nem em sonhos iria acontecer...

e no entanto... 


 
Eu explico: Antes de chegarmos à Quinta do Anjo o Fernando fez mais uma das suas descobertas e achou uma pasta cheia de discos em vinil de grandes sucessos dos anos 60 e 70 para juntar à sua colecção. 

Por isso nem tudo foi mau, o convívio foi como habitualmente excelente e apesar de tudo ainda acabámos por fazer cerca de 47 km a uma média de 16 km/hora.

Como aposto que agora estão todos cheios de vontade de ir para o youtube ouvir o "The Sound of Music", despeço-me  até uma próxima oportunidade com a esperança que nas próximas voltas haja mais acção e menos "fait-divers".

The hills are alive with the sound of music, trálálá... eheheheh


PS: Prometemos realizar esta volta por completo numa próxima oportunidade, com track, altimetrias, vídeos, se possível sem avarias mecânicas e principalmente sem quedas.



Sem comentários:

Publicar um comentário