sexta-feira, 17 de junho de 2011

Rescaldo - Passeio de BTT de 12/06/2011 - "E se fossemos até à Comenda?"

Esta semana tínhamos como objectivo fazer uma volta relativamente fácil de forma a chegarmos cedo a casa, e quando o Artur sugeriu que podíamos ir até à Comenda a ideia foi aceite de imediato. Por isso na primeira fase do percurso optámos por não "inventar" e seguimos pelos trilhos da Serra do Louro (Moinhos/Fio-Dental), e depois descemos até ao Vale de Alcube.



Atravessámos a N10, entrámos na Quinta dos Cambalhões, passámos pela Capela de São Pedro de Alcube e seguimos pela várzea da Comenda até ao Parque de Merendas. Já não parávamos ali à muito tempo e tenho a certeza que daqui para a frente vamos ter muitas dificuldades em voltar a arranjar mesa, visto que no domingo ainda não eram 9 horas e já só haviam duas vagas (uma em cada margem) 

Mas esta não seria uma volta digna da Brigada-dos-Rijos se não tivesse algumas novidades e por essa razão quando saímos do parque de merendas em vez de seguirmos directos para a N10 (sentido Capela de São Luís) virámos à direita e subimos até ao Viso Pequeno com o objectivo de fazer pela primeira vez a descer um trilho bastante rochoso que termina no Casal das Figueiras, perto da Estrada Romana do Viso (antes do trilho entrámos dentro duma Quinta, mas como normalmente passamos ali em sentido contrario foi a primeira vez que vi aquela placa e não consegui fixar o nome da propriedade). Foi realmente como se tivéssemos passado por ali pela primeira vez, e a prova disso é que por alguns instantes cheguei mesmo a ter duvidas se estava no caminho correcto! (é uma das virtudes de fazer trilhos bastante conhecidos mas em sentido oposto!)


Voltámos à N10 e seguimos uns metros no sentido de Setúbal. Antes das bombas de gasolina, virámos à esquerda e subimos até ao single-track das Oliveiras.

Dali seguimos até ao parque de merendas de São Paulo e a antes de chegarmos à Baixa de Palmela passámos pelo trilho da rede. Surpreendentemente o Artur revelou-nos que era a primeira vez que por ali passava, o que é bastante curioso, porque ele é um dos membros da equipa mais assíduos, e nós já passámos por ali uma serie de vezes, e pelos vistos sempre que lá fomos ele não nos pôde fazer companhia!

Chegados à Baixa de Palmela era a altura de fazermos a subida da Cobra, e para mim, fazer esta subida é a melhor de maneira de saber qual o estado actual da minha forma. Se a faço a  +/- 15 km/hora significa que estou num bom momento, mas se quando chego a 3/4 da subida e já não consigo manter a cadencia e estou com as pulsações a mais de 190 o melhor mesmo é diminuir o ritmo e tirar umas fotografias aos companheiros que vêm um pouco mais atrás.
 Como já devem ter percebido, não consegui manter a velocidade e aqui ficam as fotos que o provam, lolol



 Estava a chegar ao fim mais um passeio domingueiro e era a altura de nos despedirmos do Rodrigo e seguirmos até ao Pinhal Novo.

Para a semana há mais!!


B.d.R. - 12/06/2011 - Arrábida from Carlos Espiguinha on Vimeo.



Rijos de serviço: Artur, Carlos e Rodrigo

Distância percorrida: 58,90 km (3:24:32) [tempo efectivo: 3:50:23]

Altura máxima: 225 m
Altura mínima: 10 m
Acumulado de subidas: 1435 m (TrackMaster) 725 m (GPSies)
Índice de dificuldade: 737 (TrackMaster)

Media de Pulsações: 150 p/min.
Pulsação Máxima: 194 p/min. (00:06:02 acima do limite)

Velocidade Média: 17,70 km/hora
Velocidade Máxima: 48,20 km/hora


Sem comentários:

Publicar um comentário